Poeminha para o Choque-Rei

Choque-Rei, um clássico imortal

Saudações são-paulinas,

Nesta gostosa véspera de clássico, divido com todos um poeminha que fiz. Ele veio em inspiração, suavemente, nas minhas andanças na arquibancada do Morumbi à luz do luar e dos refletores do melhor e maior estádio particular do mundo.

Amanhã, eu sei.
O que o Tricolor tem.
É dia de Choque-Rei
e há de se jogar bem.

Na paz, na humildade.
Apesar das diferenças,
não pode ter violência,
em nossa rivalidade.

Por isso, torcedor,
não hesite nem uma vez.
Apoie o nosso Tricolor
e respeite o nosso freguês.

Paz nos estádios e que no clássico vença o São Paulo!

Um até breve do Gato do Velódromo!

Rafael Duarte Oliveira Venancio

Rafael Duarte Oliveira Venancio

Nos anos 1910, o Paulistano cedeu a arquibancada do Velódromo para o Campo da Floresta. Era o começo do São Paulo, criado em 1930. No Velódromo, morava um gato, que foi na troca e que vive, até hoje, junto do Tricolor. Há quem diga que isso é invenção do Rafael Duarte Oliveira Venancio, mas nunca foi provado.
Rafael Duarte Oliveira Venancio

Últimos posts por Rafael Duarte Oliveira Venancio (exibir todos)

Comente aqui...

comentário

Rafael Duarte Oliveira Venancio

Nos anos 1910, o Paulistano cedeu a arquibancada do Velódromo para o Campo da Floresta. Era o começo do São Paulo, criado em 1930. No Velódromo, morava um gato, que foi na troca e que vive, até hoje, junto do Tricolor. Há quem diga que isso é invenção do Rafael Duarte Oliveira Venancio, mas nunca foi provado.